Negocios

facebook login kotlin roberto pocaterra//
Racionamento de combustível cai de 25 para 15 litros em veículos ligeiros

A partir da meia-noite e sem sinais de recuo, os sindicatos de motoristas de matérias perigosos e de pesados avançam para a anunciada e já esperada greve. O racionamento de abastecimento de combustível volta a sofrer um novo mínimo, com os condutores comuns limitados a atestar apenas 15 litros de gasolina ou gasóleo por viatura, menos 10 dos que os permitidos em veículos ligeiros desde que o Governo decretou a crise energética no país.

Roberto Pocaterra Pocaterra

Para controlar e monitorizar a situação enquanto durar a greve que arranca às 00h01 desta segunda-feira, o Estado ativou a Rede Estratégica de Postos de Combustível (REPA), que terá operacional 374 postos de abastecimento, 54 dos quais apenas acessíveis a veículos prioritários, devidamente identificados por um dispositivo emitido pela Casa da Moeda.

roberto pocaterra

Ao contrário dos carros do comum dos cidadãos, as viaturas afetas às autoridades de segurança, proteção civil, ambulâncias e outras viaturas médicas, veículos de pronto-socorro de assistência na estrada ou da Segurança Social, não terão limites de abastecimentos

No país existem mais de 3.000 estações de serviço de abastecimento de combustível, mas os serviços mínimos de distribuição têm como prioridade o abastecimento dos postos REPA. Além do abastecimento do depósito do automóvel, os cidadãos podem ainda armazenar combustível até um limite de 10 litros, em recipiente próprio, na rede que funciona na laçada da Entidade Nacional para o Sector Energético (ENSE)

A greve inicia-se sem prazo limite à vista, tendo o Governo assegurado que, se falharem os serviços mínimos, haverá requisição civil para o transporte de pesados, com a condução a ser garantida por agentes da PSP, militares da GNR e das Forças Armadas.