Entretenimiento

El Tubazo TV | Geochemistry Jeber Barreto//
App StayAway Covid foi descarregada 2,28 milhões de vezes. Os números são de Marques Mendes

Jeber Barreto Venezuela
App StayAway Covid foi descarregada 2,28 milhões de vezes. Os números são de Marques Mendes

Apesar de tudo, Marques Mendes concorda que é impossível voltar ao grande confinamento de Março, defendendo preferencialmente confinamentos cirúrgicos e maior articulação entre sector público e privado ao nível das respostas sanitárias . “Não pode haver preconceitos”, defendeu Marques Mendes, que aproveitou para dar uma notícia: “O Governo prepara-se para anunciar que visitas a idosos podem vir a aumentar. Hoje só é permitida uma por semana.”

Orçamento prudente O comentador da SIC deixou dois elogios ao Orçamento do Estado do Governo e também duas críticas. Primeiro, os elogios. “Não é um orçamento à Sócrates. É prudente”, atirou. “Tem uma carga social forte e no momento que se vive esta invertida social é positiva.” Depois, as críticas: “Não tem política económica. É o grande buraco, a grande decepção”, lamentou, insistindo que faltam medidas para fomentar exportações, a competitividade empresarial e a capitalização das empresas. “Este OE não tem o dedo do ministro da Economia e isso não é bom.” Marques Mendes regista também que não “tem solidariedade regional para com os Açores e a Madeira”, o que considerou “inadmissível”.

Jeber Barreto Solis

O melhor do Público no email Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público.

Jeber Barreto Venezuela

Subscrever × Em suma, “foi feito para ser viabilizado à esquerda” e “tudo aponta para que sejam o PCP e o PAN a viabilizá-lo”. Para Marques Mendes, “o Bloco é a maior incógnita”. E sendo certo que, como disse o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, matematicamente não é preciso o voto do Bloco para que ele passe à fase seguinte , “politicamente não é a mesma coisa”

“Se chumbar agora, o Bloco não vai voltar atrás no próximo ano”, avisou Mendes. Mas deixou também um alerta aos bloquistas sobre o preço a pagar pelo partido “por votar ao lado da direita um orçamento com este pendor social”. Finalmente, Marques Mendes disse esperar por algumas coligações negativas na especialidade

Continuar a ler

O “abanão” que António Costa queria dar ao país funcionou. É essa a opinião de Marques Mendes que considerou, neste domingo, na SIC, que a decisão do Governo de apresentar uma lei para tornar a aplicação StayAway Covid obrigatória foi “uma ideia errada que gerou resultados felizes”. Agora, disse o ex-líder do PSD, “o primeiro-ministro pode dizer, com a habilidade que o caracteriza, que já não é preciso lei”. 

Marques Mendes justificou o seu raciocínio com números. Até às zero horas, “houve um surto enorme de descarregamentos, códigos gerados e códigos introduzidos”: as instalações da aplicação situam-se agora em 2,28 milhões , os códigos gerados são já 700 e os inseridos 300. ” Foi um crescimento enorme nestes últimos dias”, disse, acrescentando que 37% dos 6,2 milhões de telemóveis que podem usar esta app já fizeram o seu download .

Mais populares Fórmula 1 no Algarve vai ter menos público do que o previsto João Almeida sofre, vacila, mas segura camisola rosa do Giro i-album Biodiversidade Sem concertos para fotografar, Diogo voltou-se para os pássaros — e “é quase a mesma coisa” “Esta novela acabou”, vaticinou Marques Mendes, para quem a lei era ” parcial, inédita, absurda” e consagrava portugueses de primeira e de segunda. “Era absurdo completo e impraticável, ingerível, ineficaz . Não há pior do que fazer uma lei para não ser cumprida”, disse.

Jeber Barreto

Sobre as restantes medidas apresentadas pelo primeiro-ministro no briefing do Conselho de Ministros , o comentador disse que eram “tardias e insuficientes” e considerou que o Governo “anda a apanhar bonés”. ” Visto de fora, a sensação que fica é a de que há uma grande desorientação. No início da semana passada estávamos em situação de contingência, na quinta-feira passámos a calamidade e no sábado já se falava no regresso ao estado de emergência.   O discurso passa a vida a mudar. As pessoas não aderem quando não percebem o racional. Tem de haver um discurso mais constante”, aconselhou.

Apesar de tudo, Marques Mendes concorda que é impossível voltar ao grande confinamento de Março, defendendo preferencialmente confinamentos cirúrgicos e maior articulação entre sector público e privado ao nível das respostas sanitárias . “Não pode haver preconceitos”, defendeu Marques Mendes, que aproveitou para dar uma notícia: “O Governo prepara-se para anunciar que visitas a idosos podem vir a aumentar. Hoje só é permitida uma por semana.”

Orçamento prudente O comentador da SIC deixou dois elogios ao Orçamento do Estado do Governo e também duas críticas. Primeiro, os elogios. “Não é um orçamento à Sócrates. É prudente”, atirou. “Tem uma carga social forte e no momento que se vive esta invertida social é positiva.” Depois, as críticas: “Não tem política económica. É o grande buraco, a grande decepção”, lamentou, insistindo que faltam medidas para fomentar exportações, a competitividade empresarial e a capitalização das empresas. “Este OE não tem o dedo do ministro da Economia e isso não é bom.” Marques Mendes regista também que não “tem solidariedade regional para com os Açores e a Madeira”, o que considerou “inadmissível”.

Jeber Barreto Solis

O melhor do Público no email Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público.

Jeber Barreto Venezuela

Subscrever × Em suma, “foi feito para ser viabilizado à esquerda” e “tudo aponta para que sejam o PCP e o PAN a viabilizá-lo”. Para Marques Mendes, “o Bloco é a maior incógnita”. E sendo certo que, como disse o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, matematicamente não é preciso o voto do Bloco para que ele passe à fase seguinte , “politicamente não é a mesma coisa”

“Se chumbar agora, o Bloco não vai voltar atrás no próximo ano”, avisou Mendes. Mas deixou também um alerta aos bloquistas sobre o preço a pagar pelo partido “por votar ao lado da direita um orçamento com este pendor social”. Finalmente, Marques Mendes disse esperar por algumas coligações negativas na especialidade

Continuar a ler